Herdeiro de empresa familiar: os desafios de preparar a nova geração

Herdeiro de empresa familiar: os desafios de preparar a nova geração

Quando falamos de empresas familiares – que representam 85% das empresas brasileiras –, estamos falando de futuro, de perpetuidade e longevidade do negócio através das gerações.

Um desafio enorme para quem conhece bem esse assunto: um futuro que depende essencialmente das novas gerações que chegarão.

Por essa razão, a preparação de jovens herdeiros se tornou um assunto tão importante no ambiente de famílias empresárias.

Afinal, como preparar o herdeiro de empresa familiar para assumir um cargo e se engajar nos negócios da família? 

Existem muitos desafios enfrentados nesse momento, e é preciso estar preparado para as possíveis adversidades.

Quais as diferenças entre sucessor e herdeiro?

Quais as diferenças entre sucessor e herdeiro?

É muito comum cometermos o erro de achar que todo herdeiro é ou será sucessor em uma empresa familiar.

Para evitar que você cometa esse erro, é preciso esclarecer a diferença entre os dois conceitos e pontuar que, não necessariamente, o herdeiro será o sucessor na empresa familiar.

Herdeiro é aquela pessoa que tem direito a algo devido à laços sanguíneos, doação em testamento ou doação em vida.

O sucessor, por outro lado, é a pessoa escolhida para gerir uma empresa familiar. Essa pessoa pode, realmente, ser um herdeiro, como também pode ser alguém escolhido previamente que não se encaixa em nenhuma das definições de herdeiro.

Quais os desafios enfrentados com o herdeiro de empresa familiar?

Quais os desafios enfrentados com o herdeiro de empresa familiar?

Como diz o professor Mário Sergio Cortella, entendendo “o futuro como o lugar onde vamos passar o resto das nossas vidas”, não podemos deixar a vida nos levar para este futuro sem o comprometimento de construir o melhor lugar, uma vez que não é um lugar qualquer.

Podemos e devemos preparar o futuro da melhor maneira possível.

Temos o desafio de preparar os jovens herdeiros para o futuro, entendendo, com isso, que não é uma obrigação trabalhar na empresa fundada pela família; caberá a ele, somente a ele, a decisão por suas escolhas profissionais.

Mas, independentemente dessas escolhas, uma ótima preparação tem de fazer parte dos seus projetos presentes. Não é tempo de esperar; é tempo de construir.

Marcelo Domingos, nosso sócio fundador, conversa com Juliana Costa Gonçalves, a autora do artigo, sobre o tema formação de herdeiros. Assista:

Juliana Costa Gonçalves é Sócia da Kfamily Business, consultora e professora de temas das empresas familiares. Possui mais de 20 anos de experiência, sendo 12 deles dedicados aos processos de desenvolvimento e profissionalização das famílias empresárias brasileiras.

Nem todo herdeiro quer ser sucessor

Esse é um ponto chave e que infelizmente ainda surpreende (e decepciona) muitas famílias.

É comum que os pais idealizam que seus filhos deem continuidade em seus negócios. No entanto, nem sempre os herdeiros irão objetivar seguir a carreira dos pais.

Está cada vez mais comum encontrarmos jovens que querem desbravar o mundo profissional e criarem seus próprios negócios, e os pais precisam aprender a lidar com isso.

Como preparar o herdeiro de empresa familiar da nova geração?

Como preparar o herdeiro de empresa familiar da nova geração?

Uma das questões mais importantes para um jovem herdeiro ou futuro acionista de uma família empresária é a sua capacidade de identificar as necessidades que mais adiante farão parte dos seus desafios profissionais – diante da gestão da empresa, na liderança da família, à frente de novos negócios ou projetos ou como acionista do grupo empresarial familiar.

Muitas vezes, a preparação de herdeiros se confunde, equivocadamente, com a exclusiva formação para executivos.

Mas é preciso ir além e entender o herdeiro como um profissional do futuro de sucesso, independentemente de onde estiver.

Apresente o ambiente de negócios

Conhecer o ambiente de negócios é uma etapa importante. Seja como executivo, seja como acionista, o conhecimento técnico do ambiente da empresa e seu funcionamento é fundamental para que ele transite com segurança e desenvoltura nas futuras decisões que terá de tomar.

Trabalhe a capacidade de realização

A capacidade de realização é mais um ponto fundamental; a segurança de saber fazer e, sobretudo, o sentimento de orgulho por ter realizado um projeto próprio.

Herdeiros, muitas vezes, se perdem em sentimentos de incapacidade diante da monstruosidade da realização feita por seus antepassados ao longo de uma história.

Essa grandiosidade inibe, impede e, algumas vezes, paralisa. Dessa maneira, criar um ambiente de segurança, que acolha a inovação e a criatividade, é o caminho para a experimentação com responsabilidade.

Não se esqueça da qualificação

No contexto da empresa familiar, se faz imprescindível compreender que, para aqueles que desejam continuar o projeto empresarial, é fundamental a qualificação. Não se pode aceitar, para trabalhar na empresa da família, membros das novas gerações que não sejam os mais qualificados do mercado.

As famílias empresárias precisam compreender que os herdeiros que optam por trabalhar na empresa da família têm de ser os melhores; que eles têm a obrigação de agregar valor para a empresa e, consequentemente, para a família. Caso contrário, seria melhor buscar um profissional competente não familiar no mercado de trabalho.

O mundo corporativo é cruel, altamente competitivo e tem uma velocidade enorme para transformação. Só mesmo os muito qualificados e dedicados têm capacidade de entregar resultados esperados que contribuirão para a longevidade do negócio.

Por isso, curso superior nas melhores escolas, pós-graduação, MBA ou mestrado, se possível, fora do país, são imprescindíveis para uma formação de qualidade.

A experiência de mercado é fundamental

Trabalhar em uma empresa fora da empresa da família faz toda a diferença para a formação de um membro da nova geração. É uma oportunidade singular para aprender a trabalhar sem mordomias e privilégios, com metas e cobrança por resultados e, sobretudo, com avaliação de desempenho isenta.

Gosto sempre de dizer que, para fazer parte do Conselho de Administração da empresa (CAD), não basta carregar o sobrenome da família; é necessário também estar muito bem preparado.

As empresas familiares possuem particularidades que estão diretamente relacionadas com os desafios enfrentados por esses empresários.

É necessário, no entanto, se preparar para trabalhar com todas essas adversidades, e aprender a fazer a melhor gestão possível, com um herdeiro de empresa familiar ou um sucessor sem laços sanguíneos.

Que tal entender mais sobre o tema? Leia nosso artigo Características e desafios das empresas familiares.

Ainda não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.