Como funciona previdência privada? Tire todas as suas dúvidas!

Como funciona previdência privada? Tire todas as suas dúvidas!

Sem dúvidas você ouviu falar sobre a reforma da Previdência Pública e a grande discussão ao redor disso.

Evitando julgamentos sobre o assunto, por mais que algumas pessoas tenham um estilo de vida mais voltado para o presente, a preocupação sempre ocupa um pedaço dos nossos pensamentos.

Uma coisa é certa: nós não gostamos de falta de previsibilidade sobre o futuro! Muitas vezes o futuro é mais incerto do que gostaríamos que fosse, então nos sentimos incomodados.

No melhor dos casos, precisamos tomar alguma atitude para resolver esse incômodo. No pior dos casos, só vamos postergando até ficar um pouco tarde.

Uma das decisões que podem reduzir esse desgaste a dar um futuro mais tranquilo e previsível  pra você e seus filhos é a de iniciar uma previdência privada.

Sabemos que sair da inércia, qualquer que seja o assunto, é algo complicado. Gostamos do que já conhecemos, e costumamos preferir essa situação, mesmo que nos cause incômodo no presente e dificuldades no futuro. 

Após sair da inércia, o próximo passo é avaliar se a Previdência Privada é uma boa opção pra você.

O bom e velho clichê se aplica nesse caso também: não há um investimento que seja adequado para todos os investidores.

É preciso entender se a previdência privada é o seu “número” e pra isso precisamos dedicar um pouco de tempo para entender alguns detalhes.

Mas o que é a previdência privada? Como ela funciona?

Você tem dúvidas sobre o tema? Não sabe como esse investimento realmente pode te ajudar?

Vamos esclarecer todas as dúvidas mais comuns no artigo de hoje!

Continue a leitura!

O que é previdência privada?

O que é previdência privada?

A previdência privada, ou previdência complementar, são fundos responsáveis por poupar para conseguir complementar uma aposentadoria oficial, ou atingir seus objetivos a longo prazo, como pagar a faculdade dos filhos ou comprar um imóvel, por exemplo.

Esse modelo de investimento existe em todo o mundo, e podem ocorrer de forma aberta ou fechada.

Os fundos fechados podem ser oferecidos pela empresa para seus funcionários, através de uma fundação.

Já os fundos abertos são disponíveis para qualquer pessoa que queira fazer o investimento, através de um banco ou da corretora.

A previdência privada é um modelo de investimento realizado à longo prazo. É comum que os investimentos sejam feitos por 10, 20 ou 30 anos, de acordo com os objetivos e necessidades do investidor.

Como a previdência privada funciona?

Como a previdência privada funciona?

As seguradoras oferecem aos clientes os chamados planos de previdência.

Os planos de previdência são responsáveis por calcular quanto é necessário poupar mês a mês para acumular um valor interessante para garantir a sua renda por um determinado período de tempo na aposentadoria.

As seguradoras costumam realizar simulações utilizando estatísticas para encontrarem os melhores valores e o tempo correto para esse investimento.

Essas simulações são feitas pensando na expectativa de vida dos brasileiros, de acordo com os dados do IBGE, e as projeções de taxas de juros para os próximos 10, 20 ou 30 anos.

Independente do valor ou do período, é fundamental que a contribuição seja debitada mensalmente, para aumentar seus resultados.

Se você for fazer sua previdência no mesmo banco onde possui conta, opte por débito automático. Dessa forma, você terá a disciplina de fazer os investimentos mensalmente.

É comum encontrar a previdência privada nos mais diversos bancos, mas existem outras instituições que oferecem esse serviço.

Dúvidas mais comuns sobre previdência privada

Dúvidas mais comuns sobre previdência privada

Apesar de falarmos muito sobre a como funciona previdência privada e seus benefícios, existem várias dúvidas sobre esse tema.

Não é raro encontrarmos pessoas que, apesar de quererem cuidar de seu patrimônio e conquistar bons investimentos, não sabem se podem confiar na previdência privada para garantir maior segurança no futuro.

Previdência privada é investimento?

Antes de respondermos essa pergunta, é interessante entendermos o que é investimento, o que são passivos e o que são ativos.

Um investimento é tudo aquilo que pode ser considerado um ativo, ou seja, que rende lucros.

Comprar uma casa ou um carro para uso próprio, por exemplo, ao contrário do que muitos pensam, não é um investimento. São passivos que geram despesas em vez de gerar lucros.

Comprar uma casa ou um carro para aluguel, por sua vez, pode ser considerado um investimento, pois são ativos que irão gerar alguma fonte de renda.

Dessa forma, podemos concluir que: sim! A previdência privada é um investimento, uma vez que gera lucros para o investidor.

Além disso, existem várias opções de fundos de previdência, com tributação e alíquotas diferentes.

Minha única maneira de ter um futuro mais tranquilo ao me aposentar é a previdência privada?

Não. A previdência privada é uma boa opção de investimento mas as suas especificidades devem ser respeitadas e indicadas de acordo com o perfil do cliente. 

Outros investimentos também podem ser utilizados desde que bem analisados e acompanhados por um profissional.

Em vários casos, inclusive, é possível combinar investimentos diversos, criando uma carteira com variedade, e aumentando assim a sua rentabilidade e seus resultados.

Previdência privada rende mal?

Algumas pessoas têm essa dúvida, mas não! A previdência privada possui um rendimento interessante.

Caso você procure montar uma carteira de fundos de previdência de gestoras independentes, é possível conseguir ganhos até mesmo maiores que outros investimentos mais comuns, como CDBs, LCIs, LCAs, Tesouro Direto, etc.

Previdência privada serve exclusivamente para complementar minha renda na aposentadoria?

Não. A previdência privada possui diversas funções.

Ela pode ser utilizada também para economizar o imposto de renda pago anualmente, além de ser uma boa opção para acumulação de patrimônio e facilitar o planejamento sucessório, ou seja, a transmissão do seu patrimônio para os herdeiros.

Como é um investimento para ter um futuro mais tranquilo, não posso correr riscos, certo?

Errado! 

Quanto mais de longo prazo o investimento, mais você pode e deve correr riscos para poder acumular um valor maior. 

Quando o seu “longo prazo” estiver chegando, deve-se fazer um movimento em busca de ativos mais conservadores.

Preciso investir obrigatoriamente todos os meses para ter uma previdência privada?

Não. Os investimentos da previdência não precisam acontecer, obrigatoriamente, todos os meses.

Caso o orçamento fique mais apertado naquele mês é só cancelar o boleto ou o débito automático e voltar a investir quando estiver mais tranquilo.

No entanto, sempre recomendamos um investimento mensal, para garantir a constância e o aumento dos rendimentos ao fim do investimento.

É possível alterar o valor investido mensalmente?

É possível alterar o valor investido mensalmente?

Sim, é possível solicitar o aumento ou a redução do valor investido desde que respeitado o limite inferior de aporte.

Dessa forma, você poderá adequar os seus investimentos de acordo com a sua disponibilidade de orçamento, podendo aumentá-lo ou reduzi-lo dentro das suas necessidades.

O importante é sempre se lembrar de manter a constância de investimento, para aumentar mês a mês o seu patrimônio.

Devo converter minha previdência privada em renda ou fazer resgates a medida que precisar quando me aposentar?

Depende dos seus objetivos. 

Geralmente indicamos fazer resgates a medida que for necessário. 

A depender dos valores acumulados, costuma ficar mais difícil fazer o controle do operacional e garantir que a alocação esteja bem feita.

O recurso acumulado vai pros meus herdeiros se eu falecer?

Apenas no caso de ainda não ter convertido o valor acumulado em renda. 

No caso de já ter convertido em renda, o patrimônio fica para a seguradora.

Por isso, é preciso que você dê atenção a esse detalhe.

Como posso resgatar esse investimento?

Muitas pessoas podem achar que resgatar o investimento da previdência privada é trabalhoso e complicado.

No entanto, é mais simples do que parece.

Caso você realize esse investimento e queira solicitar o saque, basta entrar em contato com a seguradora.

PGBL ou VGBL?

Caso declare seu imposto de renda pelo formulário completo e consiga aproveitar o abatimento de 12% da renda anual tributável, escolha o PGBL. Caso contrário, o VGBL é a melhor opção.

A principal diferença entre PGBL e VGBL é a tributação.

O PGBL permite que você deduza o valor das contribuições na sua base de cálculo do Imposto de Renda, com um limite de 12% da sua renda bruta de todo o ano.

Dessa forma, você pode ou reduzir o valor a pagar do imposto ou aumentar as suas restituições.

Esse modelo é vantajoso para aquelas pessoas que fazem a declaração do imposto de renda através do formulário completo e que são tributadas pela fonte.

Por outro lado, o VGBL é indicado para quem faz uma declaração mais simplificada, e não é tributado direto na fonte, como autônomos.

Essa opção também é indicada para aquelas pessoas que querem diversificar seus investimentos ou aplicar mais de 12% da sua renda bruta na previdência privada.

Com o VGBL a tributação acontece apenas em cima do ganho de capital.

E se o meu fundo de previdência render mal, preciso resgatar e pagar imposto de renda para poder trocar de fundo?

Não é necessário pagar nenhum imposto.

A previdência possui a opção de portabilidade do seu investimento, sem pagar imposto ou perder o histórico dos aportes.

Esse é um detalhe que torna esse investimento interessante, principalmente para as pessoas mais conservadoras: se, por acaso, fizer uma escolha ruim, é possível mudar o fundo e aumentar sua rentabilidade.

Qual a garantia de que vou receber meu investimento de volta?

É importante entender que não existe investimento sem risco. Por menor que seja, existe risco, e é exatamente isso que permite que você receba mais que o valor investido daqui algum tempo.

No caso dos fundos de previdência é importante avaliar a solidez da seguradora. O órgão responsável por garantir a solvência das seguradoras no Brasil é a SUSEP.

O outro risco a se levar em consideração depende do nível de risco que o fundo assume. Nesse caso, o mais importante é garantir que o fundo escolhido esteja adequado ao seu perfil.

Por que investir em um fundo de previdência privada quando posso comprar os ativos por conta própria?

A primeira razão seria a alíquota de imposto de renda inferior frente aos investimentos que você poderia investir sozinho.

A segunda razão é a capacidade do gestor do fundo. Essa razão se torna mais importante quanto mais sofisticada for a carteira de fundos de previdência do cliente. Um gestor com sua equipe possui qualificação e dedicação exclusiva para gerar retorno aos seus cotistas.

A terceira razão seria a praticidade para o caso dos investidores com o dia a dia mais corrido. Uma vez contratado o fundo de previdência, o débito automático se encarregará de investir o valor programado reforçando a sua disciplina.

Esse tipo de investimento é uma excelente opção quando adequado ao perfil do investidor, mas lembre-se que o seu patrimônio deve ser construído com várias dessas opções, sempre aproveitando do melhor de cada investimento!

Agora que entendemos um pouco mais sobre como funciona previdência privada, está na hora de descobrirmos as melhores maneiras de fazer um investimento.

Já ouviu falar em gestão profissional? Entenda mais no artigo Gestão profissional de Previdência Privada proporciona melhores resultados

Ainda não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.